19.2.12

o grande problema é que

no meu coração eu sou essa pessoa incrível.

aí por fora eu sou isso aqui.

e ainda que ninguém tenha expectativa nenhuma, eu tenho. fazer qualquer coisa nunca é só fazer, é fazer de maneira sublime, para que a kelly-do-bastão (TL;DR) se orgulhe de mim. não quero escrever um ensaio qualquer, quero ser genial, ganhar o pulitzer imaginário, estrelinhas doiradas mil.

qualquer coisa menos do que isso faz com que eu coma-meu-cu-mentalmente feroz & loucamente, porque penso eu sou capaz de. mas como, como?

a distância entre eu e Eu parece, às vezes, ainda maior do que a distância entre eu e os outros (e que é, como sabemos, abissal).

No comments: