21.5.09

uma cerveja no inferno

eu fico zoando (por dentro) as velhas loucas da minha aula de francês que ficam citando Fernão Capelo Gaivota, mas hoje foi minha vez de passar ridículo. o tema da unidade é trabalho, e aí a professora vem e pergunta se somos felizes nos nossos empregos.

QUOI?, pensei eu.

aí ela foi falando com um por um & blablabla desemprego & universidades mil pipocando pelo mundo & entrevistas & contratação e aí eu disse com meu francês muito pobre & triste:

quelque fois je aime bien mon travail, mais beaucoup du temps je pense que les choses que mon chef me demande sont des choses que je n'aime pas faire & que ne m'intéressent pas. et tout les choses que j'aime & que pense que je fais bien ne sont pas importants pour ma entreprise.

aujour d'hui je pense que je aimerais travailler avec des livres encore un fois, parce que mon cœur est aux livres & aux mots, mais je ne sais pas si c'est possible. il est très dificile de trouver un emploi dans une editora(?), spécialement a Curitiba. et même si je trouve un emploi là, je ne sais pas si je pourrait faire ça que j'aime.

j'ai une formation académique très fort & j'ai d'expérience aussi, mais... BLABLA


e aí me perguntaram onde eu me formei e eu falei na unicamp e aí vim o caminho de casa todo pensando nesse post aqui.

eu disse:

je ne regrette pas ça que j'ai étudié. j'ai aimé mon cours et tout que j'ai apris. mais je pense que je attendrai de vivre, aprés, quelque chose qui... m'agrandirais? agrandisserais?

sempre que eu tenho dificuldade pra dormir eu fico passando & repassando as coisas futuras. tipo a viagem no feriado. eu me imagino pegando o onibusinho pro aeroporto, embarcando no avião, pegando o onibusinho de volta etc. eu me imagino em sãopaulo passeando com gh, cozinhando com danieme, dormindo com mm, indo no noitão, pegando metrô etc. mas se eu me imagino em campinas, parada fatal do avião, a única imagem sou eu sentada no gramado dans mon île chorando horrores.

passar um dia em campinas seria situação de desespero, porque tudo que eu amava lá morreu morte morrida. seria como visitar uma cidade comida por um furacão terremoto tsunami. ver minha casinha ser carregada por um vulcão em erupção. tss tss a fumacinha.

lá não tem nada pra mim. ir pra sãopaulo é fazer mil coisas. ir pra campinas é fazer nada, porque meus pontos turísticos são mais uma vez ver filme bizarro no paradiso comer trufa gigante dar aula pros subvintes deitar na sacada do meu apartamento ser adorada no meu trabalho almoçar na padaria alemã ir no mercado com laetitia educar gh tão infante visitar laboratório de química andar descalça na biblioteca namorar namorados infames cozinhar pra lila morrer de saudade e voar pra curitiba conhecer todo mundo pela primeira vez escrever aqui loucamente dormir no cacique idolatrar hh de cachecool pegar em livro usando luva tirar 10 10 10.

ir para campinas quebraria meu coração em mais pedaços do que meu coração é feito de (tm safran foer).

c'est tout.

e meus posts pré aniversário são sempre tétricos assim, então tá.

No comments: