14.2.07

um expresso faz favor

baby, ele disse, só mais uma xícara ou duas quem sabe
me leva pra casa, eu disse, ou vou à pé
calmaí, calma, sério, já vai
tá, me emburrei contra a parede, as sandálias lept lept contra a sola do calcanhar
e é bem verdade isso, ele repetiu, quando eu vi a chave não era nem daquela porta!
lept lept, como-se!
pois é!
xicarazinha branca sentando na beira da mesa, gotinha de café preto agarrada no pires.
você devia, eu disse, devia mesmo ter pegado tudo naquele dia, agora isso, ela acha que manda.
ele levanta as sobrancelhas & chupa o café devagarinho.
decerto que pensa que você, minha voz vai ficando aguda, aí, assim, vai se obrigar a ir lá na hora que ela tiver.
ele dá de ombros.
lept.
e bem que você quer, né?
ah, é que -
pega esse café e enfia no cu.
baby -
plec plec plec plec.

No comments: