8.10.05

a crack on the head is just what you get

why? because of who you are.

eu meto os pés pelas mãos. aí você vê e acha gracioso & incrível & que menina interessante. tão natural. tão teatral que deve ser de propósito. eu não sei de propósitos, eu não aprendi. sou mal-comportada não por revolta, mas porque o cânone social se perdeu no caminho até a minha cabeça. nãonãonão, não queria ser mulherzinha & tudo aquilo. continuo não querendo servir - pff, o negócio me é entranhado. só queria saber mais esse truque, queria fazer-de-conta, queria agir dentro do contexto quando fosse necessário. às vezes é, entende? alcançar objetivos. poder-fazer do jeito que funciona.

mas nem.

por isso gostam das minhas bizarrices & artes, mas eu não vou arrumar um emprego legal. por isso me acham decidida & confiante, e eu não consigo nem ligar pra pedir comida sem corar.

e é por isso que é outra noite, outro dia, outra semana, e eu estou aqui com meus talentos & encantos, dormitando de tédio & cansaço & imprestabilidade. é tarde? dá pra montar uma persona à parte pra lidar com isso? ir no doutor resolve? ler livros de comportamento & antropologia salvará minha alma? aguardem os próximos capítulos.

No comments: