28.6.05

do ritual ao romance

lila, liloca, não me deixe, me arrependo até o último pingo de saliva de não ter dado um jeito de entrar no seio da filosofia quando você esteve em são paulo porque lila lila, eu sou louca por você, me dá um autógrafo quero ver seu camarim até começo a beber lila lila lila eu aprendo rápido bouhouhou seu sotaque bizarro me embalou como nenhuma outra voz me embalou liloquinha mon chou, você é a única mulher pra mim porque só você veio e me chutou no coração com os dois pés enquanto as outras são donzelas que me desejam como se eu fosse um homem efeminado e depois de me beijarem sorriem feito pequenas damas que perderam a virgindade pro príncipe encantado

hey hey, raphael, bora sequestrar a lila!!111!!111 acho que é isso que a gente espera o tempo todo e sei que não é porque na verdade a gente vai continuar esperando toda madrugada e noite e tarde e fins de semana sem fim se arrastam e você some e eu sumo e eu ainda não te contei o que os aluninhos acharam da sua dissertação mas não sei nem se importa porque eu amei porque rapha (allhaileris, allhaildiscordia).

se eu estiver apaixonada é um problema? é um problema pra quem? e se eu não puder escrever textos acadêmicos porque eles ficam me escrevendo, escrevendo aquilo, toneladas daquilo, e, imagine, se eu estiver me apaixonando por você solipsista e seus caninos pingando chocolate quente, mas não, acho que é por ele (eu não sei como chamar, então não chamo), porque ele me pergunta "você pinta as unhas tosco assim de propósito?", "posso subir?", "você se acha inteligente?", "escreve aqui?" etc etc etc e fica cheirando a minha roupa e ri esquisito e lambe trufa dos meus dedos e continua dizendo que não me conhece hahaha, como se tivesse o quê

ou-quem-sabe-você grafômana de coroa, valete do baralho do Sonho, fragmentária e sincopada; ou quem-sabe-você artista da dominação com o coração partido em dez e colado com dolly limão e que tem respeito pela florzinha; ou quem-sabe-você pinupwannabe de curvas brancas e desejos embalados com baladas baratas e diálogos surpreendentes; ou quem-sabe-você meu herói particular, rockstar com gosto de oboé; ou quem-sabe-você escribandarilho que se apaixonou por Ela.

porque na verdade apaixonantes são os outros, tipo o inferno, e eu não tenho calor próprio nenhum sem o desejo e o desejo é sempre o possuidor, nunca a posse. (que injusto o orkut me dizer open relationship quando são relationships).

mas no fim a moral é que OH MY CHARMING OUR DREADFUL FIGHTS, ricardo eu sei que você não tá muito a fim de me ver (que graça eu tenho, penso) mas se eu bater na porta e se eu bater na janela do sétimo andar e se eu prometer que eu continuo sendo eu, aí você ainda quer casar comigo e ter filhinhos e um apartamento de dois quartos porque eu amo você, eu amo você, eu amo você. eu nunca tive o plano de incorporar a puta no meu estereótipo (mas tive sim porque a puta e a santa, a face e o tapa), eu tenho amor demais por dentro, mas ricardo ricardo ricardo, é só de você que eu sou, porque pros outros eu empresto e pra você eu dou vamos viajar tenho o dinheiro guardado todo mundo sabe que eu sou a sua garota se não sabiam que saibam agora porque eu não vivo direito nem era para nem era por mas eu vivo pensando em você (não sempre, mas muito) be my valentine com você eu tenho as relações mais perigosas e ainda assim eu vivo pensando em viver com você porque, bem, eu sinto e é isso e só.

1 comment:

Felipe "inventado" Antonio said...

Já nem sei quantas vezes reli esse texto. Ele provavelmente me assombra mais do que a você (os meus fiz questão de matar e queimar e aprisionar num tempo longe demais para minha fraca memória).

De verdade, mal consigo compreender a parte que me toca nesses tempos pós-vidapassada, mas essa é a beleza para mim. Ver esse emaranhado de pensamentos refletindo vidas emaranhadas dos mais diversos modos.

Talvez apenas goste de suas palavras e não me importe em compreender a mensagem. Música cantada em idioma desconhecido.