1.5.05

de rerum vitae II

e de novo

--

se vc fosse a nova dona do mundo, [deus pedisse as contas], o que faria? e se fosse a nova diaba?
&
o que você faria se fosse deus (a)? e se fosse demonio?

a pergunta popular ou o maníaco é insistente?
em todo caso, em ambas as posições eu fazia como o Adam do Good Omens e mandava todos os seres místicos pararem de se meter na vida das pessoas (afinal, se existe deus e diabo eles devem ter seus subordinados), pra elas se ferrarem (ou não) sozinhas.

o que você sente quando ninguém está olhando?
hm, eu acho que quase sempre tem alguém olhando, de um jeito ou de outro. o que no fim das contas quer dizer que é como se ninguém tivesse olhando também - se desde sempre as pessoas estão monitorando você, é pra acostumar, nessa altura das coisas.
ainda assim, eu sei, claro, que tem certas especifidades às quais os outros não têm acesso a não ser que eu faça questão - e me dá um prazer enorme esconder. eu gosto de ir relendo os arquivos do blog, por exemplo, e saber que as pessoas que leram isso & aquilo não sabiam o que estava acontecendo comigo na hora, por dentro. então, quando não tem ninguém olhando, eu me sinto deliciosamente egoísta.

vai fazer uma tattoo?
acho que não, porque não consigo pensar em imagem nenhuma que eu queira carregar para todo o sempre. já pensei em fazer uns dados (un coup de dés jamais abolirá le hasard), mas onde, me diga?

qual é realmente a pergunta cuja resposta é 42?
como eu posso saber, descendente de Golgafrinchans que sou?

você ficaria ou transaria comigo?
er?

já tentou se matar, tipo lady lazarus, ou só paga uma de?
já. mas acho que não é isso que faz alguém 'pagar' ou não de lady lazarus. a importância não é especificamente no ato, mas nos motivos que levam ao surto recorrente e na reação à crise. eu posso dizer i do it so it feels like hell me referindo a viver, não a morrer, sem perder a sensação de espetáculo & angústia. o 'i have done it again' tem outro peso pra mim.

você não acha que, apesar de todos pensarem o contrário, é no medíocre onde se encontra o sublime?
aurea mediocritas? nah. acho que o sublime se costura entre uma coisa ordinária e outra, o que não torna as coisas menos medíocres. não tô falando que é preciso que chova chocolate pra um dia ser bom, porque os detalhes podem ser tão fortes quando uma Coisa Grande sozinha, dependendo do estado da pessoa; mas não faz o meu tipo achar que tem alguma coisa gloriosa intrínseca no comum.

No comments: