22.1.05

hard to explain

i say the right things but act the wrong way
i like it right here but i cannot stay
(well, i am too young, and they are too old)
oh, man, can't you see? i'm nervous, so please
pretend to be nice, so i can be mean
(i try but you see, it's hard to explain)

hm. não sei, no momento não estou a fim de abrir meu pequeno coração disfuncional, porque não acho que vai adiantar [e por que você escreve, gênio? é que eu penso certo e faço errado, dur, tipo dizer pra mim mesma que não vou ir mais falar com certas pessoas porque só da merda e falar de novo e de novo. e ver dar merda outra vez, claro]. adiantaria pra quê, também? como se tivesse alguma coisa a ser feita. quanto a alguma outra coisa específica, ainda por cima.

nada é específico. nada. nunca. você acha que o negócio é entre eu e você, mas não é. como se eu não fosse tudo isso e você não fosse tudo aquilo. tudo. aquela meleca misturada. as pessoas vão mudando & mudando o modo de agir comigo por causa de todas as coisas na vida delas, e que nem tem a ver comigo na maioria das vezes.

eu gosto daqui, mas nem posso ficar, porque aqui nem existe mais. é patético querer uma pessoa como ela era num dado momento? é que eu tenho essa queda por coisas que não dá pra ter, sabe. fico nutrindo(!) um desejo pelas coisas perdidas & idas. eu e o indiana jones.

ps. o morrissey é um idiota porque diz as coisas antes de mim e aí eu chego atrasada, às vezes até vinte anos atrasada, na minha própria vida. [should i wait and hope to be dragged inside?] [see the fool i'll be, still running around] [did i really walk all this way just to hear you say...] [he can't possibly know me] [a brick in the small of the back again]

pps. all hail. vou ser imprestável e comer um cão quente amanhã. consolar minha dor e tal, divina que sou.

No comments: