16.11.04

preludio

pra não perder o costume, estou fazendo outra das Grandes Canções, tipo a da beatrix e a da penelope. como estou tronxa, esfomeada, cheia de picada de insetos, com o ombro roxo & comido e acabei de dar aula de coesão textual (além de levar aluninhos pro mau caminho com minha literatura transviada), lá vai o grandioso prelúdio à canção a Dionisio:

nem só de álcool, filtros secretos,
se embriaga.
desde que eu pus os olhos
as mãos, a boca, as pernas
em você,
toda vez, de volta,
bêbada.

(e é por isso que meu hálito
dá origem às estrelas)

-

au revoir.

No comments: