19.11.04

i know you better than you fake it

eu sou inocente. eu crio esperanças. eu sou idiota. eu mantenho as esperanças. eu sou muito trouxa. eu vou atrás das coisas.

dor. fico vadiando na internet e a cada 100 coisas que eu leio, só meia vale a pena. reviro a porra do orkut e não acho uma comunidade decente pra discutir coisas. você já deu uma olhada nas dezenas de comunidades "feministas" de lá? igual a maioria das "feministas" que eu conheci já. tudo igual. blablablá paternalismo, blablablá nós somos melhores, blablablá alma feminina. sempre as mesmas mulherzinhas que acham que ser mulher é ter peitos & ser feminista é usar decote. elas não argumentam, elas não sabem, elas não querem saber. mesmo as comunidades das 'ativistas' só ficam rolando sobre 'pixar muros' ou 'fazer reuniões'. e as comunidades incrementadas, do tipo 'anarco-feministas lésbicas masoquistas suicidas bipolares com piercing no mamilo do meio'?

eu devia parar de me importar com essas coisas, ignorar, abstrair, como eu tento fazer com os tipos que mexem comigo na rua ou que deixam mensagens no meu scrapbook querendo me 'conhecer melhor'. se eu quero ler coisa que preste, que não me cause dor (repare, o problema é no que eu procuro e não acho, não no que os outros escrevem, sem dramas, por favor) tenho que me concentrar nos livros (comprei versocontraversoreverso do campos, post office do bukowski, e ainda tenho mais nove da biblioteca aqui) e nos artigos da wikipedia & similares. se eu quiser coisas não-oficiais, com a fome de contemporâneos corpóreos e palpáveis com estilo, cérebro & je ne sais quoi, o negócio é desistir das poserzinhas & cia e babar nas coisas que só eu vejo, só eu tenho. tipo os emails do Jack (not only words to play with) e o bloquinho do h-h (não o caderno, o bloquinho físico mesmo).

e a parte cômica do negócio é que eu sei que a maioria que ler isso vai entender que eu tõ me achando a rainha da cocada preta branca e multicor, ha. oh, ah, bom se fosse, coleguinhas. quem me dera, mas eu vejo toda essa merda e acho que possivelmente estou no meio, apenas semi-consciente. i am truly sorry about all this, i envy you your ignorance... i hear that it's bliss.

é tão inútil dizer qualquer coisa, que não sei porque faço esse show em cima do que os outros dizem, do que eu digo, ou do que poderiam dizer e não dizem. tonight you stooped to my level, i am your mangy little whore. só. me dêem atenção, me dêem atenção, eu tô falando de verdade.

(i know you better than you fake it, cuidado)

No comments: