2.8.04

lost sight of

i wish we were dead together to-day,
lost sight of, hidden away out of sight,
clasped and clothed in the cloven clay,
out of the world's way, out of the light,
out of the ages of worldly weather,
forgotten of all men altogether,
as the world's first dead, taken wholly away,
made one with death, filled full of the night.

woe.

por que a gente faz as escolhas que faz sendo que não sabe nem o que tá fazendo agora já? sendo que nem vê os pés quando anda & só tropeça & esbarra nos outros & rasga a barra da calça & pisa no cadarço & ouch. sendo que não dá pra estar em dois lugares ao mesmo tempo mas você quer estar em dois ou até três lugares ao mesmo tempo.

e olha, com tanta vontade no mundo, tem gente que não quer nada.

mas sem problema, cada um co seu cada um. deixa que eu sozinha tenho desejo suficiente por uns dez ou cem ou mil.

(da mi basia mille, deinde centum, dein mille altera, dein secunda centum).

me falaram, me falaram que eu sou em excesso. mas não acho que seje um pecado muito mal. is it worth a tear, is it worth an hour?

a-ham.

de qualquer dez minutos eu faço um século, de qualquer verbo intransitivo eu faço um canto, de qualquer dois mais dois eu faço cinco, de qualquer pedaço de papel eu faço uma coroa, de qualquer farelo de bolacha eu faço um banquete.

e vocês não sabem, mas de qualquer um eu faço eu. e quando eu canso, desfaço.

tudo isso tá o tempo todo comigo, aqui. aqui assim.

(e rio. e babo.)

e não sei mais ter medo do escuro.

No comments: